Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entre Marido e Mulher

Entre Marido e Mulher mete-se o filho, a casa e a colher surgiu com a vontade de fazer um upgrade no anterior blog (New Life Inn). Além das aventuras com a casa, passamos a ter o filho e a colher que mexe com as nossas vidas. Acompanhem esta viagem

Prepare a relva para suportar o inverno

Relva

 A bermuda e a erva-de-santo-agostinho são os tipos de relva mais comuns nos jardins privados. Se o seu relvado é composto por uma dessas relvas de verão, então é altura de fazer uma adubação destinada a dar-lhe os nutrientes necessários a um alto nível de armazenamento de substâncias de reserva nos seus rizomas, para que respondam rapidamente à saída de dormência na próxima primavera. Uma adubação com um adubo com uma relação de Azoto (N), Fósforo (P) e Potássio (N) de 1:2:1, será o ideal.

Não se esqueça que deve cortar a relva antes da adubação e regar, caso não chova, logo após a execução da mesma. Deve continuar a cortar a relva, embora com menor frequência, enquanto esta mantiver a sua atividade. Se o seu jardim está situado numa zona onde a relva entra completamente em dormência, então nessa altura despeça-se da necessidade de a cortar até à próxima primavera. A dormência de uma relva de verão permite a eliminação de infestantes, sejam de folha larga ou gramíneas, de forma muito mais fácil e menos preocupante. Esta é uma das grandes vantagens deste tipo de relvas.

Operações aconselhadas

Não deve escarificar ou fazer verticut numa relva de verão nesta altura do ano, mesmo se a altura de manta morta ou feltro o justifiquem, já que esta operação necessita da relva em período de crescimento ativo. A sua realização agora, a não ser que seja para ressemear a sua relva de verão com uma espécie de relva de inverno para assegurar um coberto verde durante o inverno, é desaconselhada. Já que a relva não consegue responder com agressividade suficiente para evitar a instalação de infestantes, deve adiar-se essa tarefa.

Se o seu relvado é composto por relva de inverno (Festuca sp. Poa pratensis e Lolium perenne), então as operações aconselhadas de preparação da relva para o período de outono e inverno são mais numerosas. Se o seu relvado composto por relva de inverno tiver sofrido desgaste no verão e nas alturas de maior calor e estiver com zonas peladas ou pouco densas, então há que escarificar, à semelhança do que foi recomendado para a primavera e ressemear todas estas zonas.

Se as zonas a necessitarem de intervenção forem muito espalhadas no relvado e não estiverem muito concentradas, deve escarificar ou fazer um verticut a todo o relvado, ressemeando com um terço da dose recomendada para a sementeira as zonas mais preenchidas e a dose completa as zonas menos densas ou peladas. A operação seguinte no seu relvado deve ser uma adubação com adubo ternário do tipo 2:1:2 ou 3:2:3. No caso das escarificações de outono é aconselhada a aplicação de uma fungicida que funcione quer preventivamente quer curativamente, como é o caso da azoxistrobina, para finalizar esta operação de recuperação do seu relvado.

Fonte: Lifestyle Sapo